Santo António

                                                                          

 

     “Quanto mais profundamente lançares o alicerce da humildade, tanto mais alto poderás construir o edifício.”

Santo António nasceu em Lisboa. Pensa-se que foi a 15 de Agosto num ano situado entre 1191 e 1195. É conhecido também como Santo António de Pádua, onde faleceu a 13 de Junho de 1231. Em Portugal o dia 13 de Junho é celebrado em muitas localidades, destacando-se Lisboa e Vila Real.
Fez os primeiros estudos na Igreja de Santa Maria Maior, hoje Sé de Lisboa, sob a direção dos cônegos da Ordem dos Regrantes de Santo Agostinho. Como era a prática da ordem, deve ter recebido instrução na área das artes literais o que, certamente, contribuiu para o seu caráter intelectual. Ingressando ainda em adolescente como noviço da mesma Ordem, no Mosteiro de São Vicente de Fora, aí iniciou os estudos para a sua formação religiosa. A biblioteca de São Vicente de Fora era afamada pela sua rica coleção de manuscritos sobre as ciências naturais, em especial a medicina, o que pode explicar as constantes referências científicas nos seus sermões.
Poucos anos depois pediu permissão para ser transferido para o Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, a fim de aperfeiçoar a sua formação e evitar distrações profanas, já que era constantemente visitado por amigos e parentes. Coimbra era à época o centro intelectual de Portugal, e ali ele deve ter-se envolvido profundamente no estudo das Escrituras e nos textos dos Padres da Igreja. Nesta época entrou em contato com os primeiros missionários franciscanos, chegados a Portugal em 1217, e que estavam a caminho de Marrocos para evangelizar os mouros. A sua pregação do Evangelho no espírito de simplicidade, idealismo e fraternidade franciscana, e a sua determinação missionária, devem ter tocado o seu sentimento. Entretanto, uma impressão ainda mais forte ocorreu quando os corpos desses frades, mortos na sua missão, voltaram a Coimbra, onde foram honrados como mártires. Autorizado a juntar-se a outros franciscanos que tinham um eremitério nos Olivais, sob a invocação de Santo António do Deserto, mudou o seu nome para Antônio e iniciou sua própria missão em busca do martírio.
Fonte: Wikipedia
     

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Quanto mais profundamente lançares o alicerce da humildade, tanto mais alto poderás construir o edifício.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Santo António nasceu em Lisboa. Pensa-se que foi a 15 de Agosto num ano situado entre 1191 e 1195. É conhecido também como Santo António de Pádua, onde faleceu a 13 de Junho de 1231. Em Portugal o dia 13 de Junho é celebrado em muitas localidades, destacando-se Lisboa e Vila Real.
Fez os primeiros estudos na Igreja de Santa Maria Maior, hoje Sé de Lisboa, sob a direção dos cônegos da Ordem dos Regrantes de Santo Agostinho. Como era a prática da ordem, deve ter recebido instrução na área das artes literais o que, certamente, contribuiu para o seu caráter intelectual. Ingressando ainda em adolescente como noviço da mesma Ordem, no Mosteiro de São Vicente de Fora, aí iniciou os estudos para a sua formação religiosa. A biblioteca de São Vicente de Fora era afamada pela sua rica coleção de manuscritos sobre as ciências naturais, em especial a medicina, o que pode explicar as constantes referências científicas nos seus sermões.
Poucos anos depois pediu permissão para ser transferido para o Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, a fim de aperfeiçoar a sua formação e evitar distrações profanas, já que era constantemente visitado por amigos e parentes. Coimbra era à época o centro intelectual de Portugal, e ali ele deve ter-se envolvido profundamente no estudo das Escrituras e nos textos dos Padres da Igreja. Nesta época entrou em contato com os primeiros missionários franciscanos, chegados a Portugal em 1217, e que estavam a caminho de Marrocos para evangelizar os mouros. A sua pregação do Evangelho no espírito de simplicidade, idealismo e fraternidade franciscana, e a sua determinação missionária, devem ter tocado o seu sentimento. Entretanto, uma impressão ainda mais forte ocorreu quando os corpos desses frades, mortos na sua missão, voltaram a Coimbra, onde foram honrados como mártires. Autorizado a juntar-se a outros franciscanos que tinham um eremitério nos Olivais, sob a invocação de Santo António do Deserto, mudou o seu nome para Antônio e iniciou sua própria missão em busca do martírio.
Fonte: Wikipedia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Quanto mais profundamente lançares o alicerce da humildade, tanto mais alto poderás construir o edifício.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Santo António nasceu em Lisboa. Pensa-se que foi a 15 de Agosto num ano situado entre 1191 e 1195. É conhecido também como Santo António de Pádua, onde faleceu a 13 de Junho de 1231. Em Portugal o dia 13 de Junho é celebrado em muitas localidades, destacando-se Lisboa e Vila Real.
Fez os primeiros estudos na Igreja de Santa Maria Maior, hoje Sé de Lisboa, sob a direção dos cônegos da Ordem dos Regrantes de Santo Agostinho. Como era a prática da ordem, deve ter recebido instrução na área das artes literais o que, certamente, contribuiu para o seu caráter intelectual. Ingressando ainda em adolescente como noviço da mesma Ordem, no Mosteiro de São Vicente de Fora, aí iniciou os estudos para a sua formação religiosa. A biblioteca de São Vicente de Fora era afamada pela sua rica coleção de manuscritos sobre as ciências naturais, em especial a medicina, o que pode explicar as constantes referências científicas nos seus sermões.
Poucos anos depois pediu permissão para ser transferido para o Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, a fim de aperfeiçoar a sua formação e evitar distrações profanas, já que era constantemente visitado por amigos e parentes. Coimbra era à época o centro intelectual de Portugal, e ali ele deve ter-se envolvido profundamente no estudo das Escrituras e nos textos dos Padres da Igreja. Nesta época entrou em contato com os primeiros missionários franciscanos, chegados a Portugal em 1217, e que estavam a caminho de Marrocos para evangelizar os mouros. A sua pregação do Evangelho no espírito de simplicidade, idealismo e fraternidade franciscana, e a sua determinação missionária, devem ter tocado o seu sentimento. Entretanto, uma impressão ainda mais forte ocorreu quando os corpos desses frades, mortos na sua missão, voltaram a Coimbra, onde foram honrados como mártires. Autorizado a juntar-se a outros franciscanos que tinham um eremitério nos Olivais, sob a invocação de Santo António do Deserto, mudou o seu nome para Antônio e iniciou sua própria missão em busca do martírio.
Fonte: Wikipedia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Quanto mais profundamente lançares o alicerce da humildade, tanto mais alto poderás construir o edifício.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Santo António nasceu em Lisboa. Pensa-se que foi a 15 de Agosto num ano situado entre 1191 e 1195. É conhecido também como Santo António de Pádua, onde faleceu a 13 de Junho de 1231. Em Portugal o dia 13 de Junho é celebrado em muitas localidades, destacando-se Lisboa e Vila Real.
Fez os primeiros estudos na Igreja de Santa Maria Maior, hoje Sé de Lisboa, sob a direção dos cônegos da Ordem dos Regrantes de Santo Agostinho. Como era a prática da ordem, deve ter recebido instrução na área das artes literais o que, certamente, contribuiu para o seu caráter intelectual. Ingressando ainda em adolescente como noviço da mesma Ordem, no Mosteiro de São Vicente de Fora, aí iniciou os estudos para a sua formação religiosa. A biblioteca de São Vicente de Fora era afamada pela sua rica coleção de manuscritos sobre as ciências naturais, em especial a medicina, o que pode explicar as constantes referências científicas nos seus sermões.
Poucos anos depois pediu permissão para ser transferido para o Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, a fim de aperfeiçoar a sua formação e evitar distrações profanas, já que era constantemente visitado por amigos e parentes. Coimbra era à época o centro intelectual de Portugal, e ali ele deve ter-se envolvido profundamente no estudo das Escrituras e nos textos dos Padres da Igreja. Nesta época entrou em contato com os primeiros missionários franciscanos, chegados a Portugal em 1217, e que estavam a caminho de Marrocos para evangelizar os mouros. A sua pregação do Evangelho no espírito de simplicidade, idealismo e fraternidade franciscana, e a sua determinação missionária, devem ter tocado o seu sentimento. Entretanto, uma impressão ainda mais forte ocorreu quando os corpos desses frades, mortos na sua missão, voltaram a Coimbra, onde foram honrados como mártires. Autorizado a juntar-se a outros franciscanos que tinham um eremitério nos Olivais, sob a invocação de Santo António do Deserto, mudou o seu nome para Antônio e iniciou sua própria missão em busca do martírio.
Fonte: Wikipedia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Quanto mais profundamente lançares o alicerce da humildade, tanto mais alto poderás construir o edifício.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Santo António nasceu em Lisboa. Pensa-se que foi a 15 de Agosto num ano situado entre 1191 e 1195. É conhecido também como Santo António de Pádua, onde faleceu a 13 de Junho de 1231. Em Portugal o dia 13 de Junho é celebrado em muitas localidades, destacando-se Lisboa e Vila Real.
Fez os primeiros estudos na Igreja de Santa Maria Maior, hoje Sé de Lisboa, sob a direção dos cônegos da Ordem dos Regrantes de Santo Agostinho. Como era a prática da ordem, deve ter recebido instrução na área das artes literais o que, certamente, contribuiu para o seu caráter intelectual. Ingressando ainda em adolescente como noviço da mesma Ordem, no Mosteiro de São Vicente de Fora, aí iniciou os estudos para a sua formação religiosa. A biblioteca de São Vicente de Fora era afamada pela sua rica coleção de manuscritos sobre as ciências naturais, em especial a medicina, o que pode explicar as constantes referências científicas nos seus sermões.
Poucos anos depois pediu permissão para ser transferido para o Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, a fim de aperfeiçoar a sua formação e evitar distrações profanas, já que era constantemente visitado por amigos e parentes. Coimbra era à época o centro intelectual de Portugal, e ali ele deve ter-se envolvido profundamente no estudo das Escrituras e nos textos dos Padres da Igreja. Nesta época entrou em contato com os primeiros missionários franciscanos, chegados a Portugal em 1217, e que estavam a caminho de Marrocos para evangelizar os mouros. A sua pregação do Evangelho no espírito de simplicidade, idealismo e fraternidade franciscana, e a sua determinação missionária, devem ter tocado o seu sentimento. Entretanto, uma impressão ainda mais forte ocorreu quando os corpos desses frades, mortos na sua missão, voltaram a Coimbra, onde foram honrados como mártires. Autorizado a juntar-se a outros franciscanos que tinham um eremitério nos Olivais, sob a invocação de Santo António do Deserto, mudou o seu nome para Antônio e iniciou sua própria missão em busca do martírio.
Fonte: Wikipedia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Quanto mais profundamente lançares o alicerce da humildade, tanto mais alto poderás construir o edifício.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Santo António nasceu em Lisboa. Pensa-se que foi a 15 de Agosto num ano situado entre 1191 e 1195. É conhecido também como Santo António de Pádua, onde faleceu a 13 de Junho de 1231. Em Portugal o dia 13 de Junho é celebrado em muitas localidades, destacando-se Lisboa e Vila Real.
Fez os primeiros estudos na Igreja de Santa Maria Maior, hoje Sé de Lisboa, sob a direção dos cônegos da Ordem dos Regrantes de Santo Agostinho. Como era a prática da ordem, deve ter recebido instrução na área das artes literais o que, certamente, contribuiu para o seu caráter intelectual. Ingressando ainda em adolescente como noviço da mesma Ordem, no Mosteiro de São Vicente de Fora, aí iniciou os estudos para a sua formação religiosa. A biblioteca de São Vicente de Fora era afamada pela sua rica coleção de manuscritos sobre as ciências naturais, em especial a medicina, o que pode explicar as constantes referências científicas nos seus sermões.
Poucos anos depois pediu permissão para ser transferido para o Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, a fim de aperfeiçoar a sua formação e evitar distrações profanas, já que era constantemente visitado por amigos e parentes. Coimbra era à época o centro intelectual de Portugal, e ali ele deve ter-se envolvido profundamente no estudo das Escrituras e nos textos dos Padres da Igreja. Nesta época entrou em contato com os primeiros missionários franciscanos, chegados a Portugal em 1217, e que estavam a caminho de Marrocos para evangelizar os mouros. A sua pregação do Evangelho no espírito de simplicidade, idealismo e fraternidade franciscana, e a sua determinação missionária, devem ter tocado o seu sentimento. Entretanto, uma impressão ainda mais forte ocorreu quando os corpos desses frades, mortos na sua missão, voltaram a Coimbra, onde foram honrados como mártires. Autorizado a juntar-se a outros franciscanos que tinham um eremitério nos Olivais, sob a invocação de Santo António do Deserto, mudou o seu nome para Antônio e iniciou sua própria missão em busca do martírio.
Fonte: Wikipedia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Partilhar

Por favor aguarde...
Total de Visitas da Página: 2
Total de Visitas do Website: 223589

sem comentários

Deixe um comentário