ManuelCordeiro.net

Switch to desktop Register Login

Paulo Viriato Costa

 “O que nos torna rotários é a crença de que as nossas profissões são muito mais do que fonte de rendimento e palco para conquistas pessoais. É saber que através delas temos uma oportunidade sem igual para servir.”

Nasceu em Janeiro de 1930. Casado com a Rita de quem teve quatro filhos, Paulo Eduardo, César Luís, já falecido, Carmen Cinthia e Jorge Augusto, todos rotários e companheiros Paul Harris, como o pai.

Como católico praticante participou ativamente em movimentos religiosos, culminando com a distinção de ser sagrado Cavaleiro da Soberana Ordem Militar de Malta, ligada ao Vaticano. 
 
Arquiteto de profissão, pela Universidade Mackenzie de São Paulo. Esteve à frente de um dos mais respeitados conglomerados de empresas da cidade, dirigindo a empresa que realizou mais de 320 obras na região, incluindo bancos, cinemas e hospitais, concorrendo para o desenvolvimento urbano. Acreditando e promovendo a cidade de Santos, estendeu as suas atividades aos setores de navegação e bancário.  
 
Apesar dos inúmeros compromissos profissionais, jamais deixou de se dedicar à comunidade, atuando em iniciativas de cunho cultural, social e filantrópico, participando em várias comissões municipais e de campanhas que visavam o engrandecimento da cidade.  
 
Presidiu ao Conselho de Administração da Fundação Pinacoteca Benedicto Calixto, foi membro do Conselho de Administração do Museu de Arte Sacra de Santos e da Casa da Esperança de Santos. Ocupou a cadeira Marechal Rondon no Instituto Histórico e Geográfico de Santos .  
 
Em razão do seu envolvimento com Rotary colaborou efetivamente para que vários projetos comunitários fossem implementados na cidade, tendo liderado o movimento que obteve junto de Rotary International os recursos necessários – mais de 6 milhões de dólares – para a compra das vacinas para a erradicação da poliomielite no Brasil.  
 
Foi ainda agraciado pela Câmara Municipal de São Paulo com a “Medalha Anchieta e o Diploma de Gratidão da Cidade de São Paulo” em reconhecimento a toda sua dedicação e envolvimento com as questões sociais e comunitárias.  

Foi rotário por mais de 40 anos, após ter entrado para o Rotary Club de Santos em 7 de Março de 1956, tendo sido presidente do clube, Governador do então Distrito 461, Diretor de Rotary International, culminando como Presidente de Rotary International em 1990-1991, com o Lema: Valorize Rotary Com Fé e Entusiasmo.

Mais informações em: http://www.paulovccosta.com.br

Atualizado em 16-12-2012

Visitas: 1189

Santo António

                                                                          

 

     “Quanto mais profundamente lançares o alicerce da humildade, tanto mais alto poderás construir o edifício.”

Santo António nasceu em Lisboa. Pensa-se que foi a 15 de Agosto num ano situado entre 1191 e 1195. É conhecido também como Santo António de Pádua, onde faleceu a 13 de Junho de 1231. Em Portugal o dia 13 de Junho é celebrado em muitas localidades, destacando-se Lisboa e Vila Real.
Fez os primeiros estudos na Igreja de Santa Maria Maior, hoje Sé de Lisboa, sob a direção dos cônegos da Ordem dos Regrantes de Santo Agostinho. Como era a prática da ordem, deve ter recebido instrução na área das artes literais o que, certamente, contribuiu para o seu caráter intelectual. Ingressando ainda em adolescente como noviço da mesma Ordem, no Mosteiro de São Vicente de Fora, aí iniciou os estudos para a sua formação religiosa. A biblioteca de São Vicente de Fora era afamada pela sua rica coleção de manuscritos sobre as ciências naturais, em especial a medicina, o que pode explicar as constantes referências científicas nos seus sermões.
Poucos anos depois pediu permissão para ser transferido para o Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, a fim de aperfeiçoar a sua formação e evitar distrações profanas, já que era constantemente visitado por amigos e parentes. Coimbra era à época o centro intelectual de Portugal, e ali ele deve ter-se envolvido profundamente no estudo das Escrituras e nos textos dos Padres da Igreja. Nesta época entrou em contato com os primeiros missionários franciscanos, chegados a Portugal em 1217, e que estavam a caminho de Marrocos para evangelizar os mouros. A sua pregação do Evangelho no espírito de simplicidade, idealismo e fraternidade franciscana, e a sua determinação missionária, devem ter tocado o seu sentimento. Entretanto, uma impressão ainda mais forte ocorreu quando os corpos desses frades, mortos na sua missão, voltaram a Coimbra, onde foram honrados como mártires. Autorizado a juntar-se a outros franciscanos que tinham um eremitério nos Olivais, sob a invocação de Santo António do Deserto, mudou o seu nome para Antônio e iniciou sua própria missão em busca do martírio.
Fonte: Wikipedia
     

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Quanto mais profundamente lançares o alicerce da humildade, tanto mais alto poderás construir o edifício.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Santo António nasceu em Lisboa. Pensa-se que foi a 15 de Agosto num ano situado entre 1191 e 1195. É conhecido também como Santo António de Pádua, onde faleceu a 13 de Junho de 1231. Em Portugal o dia 13 de Junho é celebrado em muitas localidades, destacando-se Lisboa e Vila Real.
Fez os primeiros estudos na Igreja de Santa Maria Maior, hoje Sé de Lisboa, sob a direção dos cônegos da Ordem dos Regrantes de Santo Agostinho. Como era a prática da ordem, deve ter recebido instrução na área das artes literais o que, certamente, contribuiu para o seu caráter intelectual. Ingressando ainda em adolescente como noviço da mesma Ordem, no Mosteiro de São Vicente de Fora, aí iniciou os estudos para a sua formação religiosa. A biblioteca de São Vicente de Fora era afamada pela sua rica coleção de manuscritos sobre as ciências naturais, em especial a medicina, o que pode explicar as constantes referências científicas nos seus sermões.
Poucos anos depois pediu permissão para ser transferido para o Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, a fim de aperfeiçoar a sua formação e evitar distrações profanas, já que era constantemente visitado por amigos e parentes. Coimbra era à época o centro intelectual de Portugal, e ali ele deve ter-se envolvido profundamente no estudo das Escrituras e nos textos dos Padres da Igreja. Nesta época entrou em contato com os primeiros missionários franciscanos, chegados a Portugal em 1217, e que estavam a caminho de Marrocos para evangelizar os mouros. A sua pregação do Evangelho no espírito de simplicidade, idealismo e fraternidade franciscana, e a sua determinação missionária, devem ter tocado o seu sentimento. Entretanto, uma impressão ainda mais forte ocorreu quando os corpos desses frades, mortos na sua missão, voltaram a Coimbra, onde foram honrados como mártires. Autorizado a juntar-se a outros franciscanos que tinham um eremitério nos Olivais, sob a invocação de Santo António do Deserto, mudou o seu nome para Antônio e iniciou sua própria missão em busca do martírio.
Fonte: Wikipedia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Quanto mais profundamente lançares o alicerce da humildade, tanto mais alto poderás construir o edifício.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Santo António nasceu em Lisboa. Pensa-se que foi a 15 de Agosto num ano situado entre 1191 e 1195. É conhecido também como Santo António de Pádua, onde faleceu a 13 de Junho de 1231. Em Portugal o dia 13 de Junho é celebrado em muitas localidades, destacando-se Lisboa e Vila Real.
Fez os primeiros estudos na Igreja de Santa Maria Maior, hoje Sé de Lisboa, sob a direção dos cônegos da Ordem dos Regrantes de Santo Agostinho. Como era a prática da ordem, deve ter recebido instrução na área das artes literais o que, certamente, contribuiu para o seu caráter intelectual. Ingressando ainda em adolescente como noviço da mesma Ordem, no Mosteiro de São Vicente de Fora, aí iniciou os estudos para a sua formação religiosa. A biblioteca de São Vicente de Fora era afamada pela sua rica coleção de manuscritos sobre as ciências naturais, em especial a medicina, o que pode explicar as constantes referências científicas nos seus sermões.
Poucos anos depois pediu permissão para ser transferido para o Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, a fim de aperfeiçoar a sua formação e evitar distrações profanas, já que era constantemente visitado por amigos e parentes. Coimbra era à época o centro intelectual de Portugal, e ali ele deve ter-se envolvido profundamente no estudo das Escrituras e nos textos dos Padres da Igreja. Nesta época entrou em contato com os primeiros missionários franciscanos, chegados a Portugal em 1217, e que estavam a caminho de Marrocos para evangelizar os mouros. A sua pregação do Evangelho no espírito de simplicidade, idealismo e fraternidade franciscana, e a sua determinação missionária, devem ter tocado o seu sentimento. Entretanto, uma impressão ainda mais forte ocorreu quando os corpos desses frades, mortos na sua missão, voltaram a Coimbra, onde foram honrados como mártires. Autorizado a juntar-se a outros franciscanos que tinham um eremitério nos Olivais, sob a invocação de Santo António do Deserto, mudou o seu nome para Antônio e iniciou sua própria missão em busca do martírio.
Fonte: Wikipedia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Quanto mais profundamente lançares o alicerce da humildade, tanto mais alto poderás construir o edifício.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Santo António nasceu em Lisboa. Pensa-se que foi a 15 de Agosto num ano situado entre 1191 e 1195. É conhecido também como Santo António de Pádua, onde faleceu a 13 de Junho de 1231. Em Portugal o dia 13 de Junho é celebrado em muitas localidades, destacando-se Lisboa e Vila Real.
Fez os primeiros estudos na Igreja de Santa Maria Maior, hoje Sé de Lisboa, sob a direção dos cônegos da Ordem dos Regrantes de Santo Agostinho. Como era a prática da ordem, deve ter recebido instrução na área das artes literais o que, certamente, contribuiu para o seu caráter intelectual. Ingressando ainda em adolescente como noviço da mesma Ordem, no Mosteiro de São Vicente de Fora, aí iniciou os estudos para a sua formação religiosa. A biblioteca de São Vicente de Fora era afamada pela sua rica coleção de manuscritos sobre as ciências naturais, em especial a medicina, o que pode explicar as constantes referências científicas nos seus sermões.
Poucos anos depois pediu permissão para ser transferido para o Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, a fim de aperfeiçoar a sua formação e evitar distrações profanas, já que era constantemente visitado por amigos e parentes. Coimbra era à época o centro intelectual de Portugal, e ali ele deve ter-se envolvido profundamente no estudo das Escrituras e nos textos dos Padres da Igreja. Nesta época entrou em contato com os primeiros missionários franciscanos, chegados a Portugal em 1217, e que estavam a caminho de Marrocos para evangelizar os mouros. A sua pregação do Evangelho no espírito de simplicidade, idealismo e fraternidade franciscana, e a sua determinação missionária, devem ter tocado o seu sentimento. Entretanto, uma impressão ainda mais forte ocorreu quando os corpos desses frades, mortos na sua missão, voltaram a Coimbra, onde foram honrados como mártires. Autorizado a juntar-se a outros franciscanos que tinham um eremitério nos Olivais, sob a invocação de Santo António do Deserto, mudou o seu nome para Antônio e iniciou sua própria missão em busca do martírio.
Fonte: Wikipedia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Quanto mais profundamente lançares o alicerce da humildade, tanto mais alto poderás construir o edifício.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Santo António nasceu em Lisboa. Pensa-se que foi a 15 de Agosto num ano situado entre 1191 e 1195. É conhecido também como Santo António de Pádua, onde faleceu a 13 de Junho de 1231. Em Portugal o dia 13 de Junho é celebrado em muitas localidades, destacando-se Lisboa e Vila Real.
Fez os primeiros estudos na Igreja de Santa Maria Maior, hoje Sé de Lisboa, sob a direção dos cônegos da Ordem dos Regrantes de Santo Agostinho. Como era a prática da ordem, deve ter recebido instrução na área das artes literais o que, certamente, contribuiu para o seu caráter intelectual. Ingressando ainda em adolescente como noviço da mesma Ordem, no Mosteiro de São Vicente de Fora, aí iniciou os estudos para a sua formação religiosa. A biblioteca de São Vicente de Fora era afamada pela sua rica coleção de manuscritos sobre as ciências naturais, em especial a medicina, o que pode explicar as constantes referências científicas nos seus sermões.
Poucos anos depois pediu permissão para ser transferido para o Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, a fim de aperfeiçoar a sua formação e evitar distrações profanas, já que era constantemente visitado por amigos e parentes. Coimbra era à época o centro intelectual de Portugal, e ali ele deve ter-se envolvido profundamente no estudo das Escrituras e nos textos dos Padres da Igreja. Nesta época entrou em contato com os primeiros missionários franciscanos, chegados a Portugal em 1217, e que estavam a caminho de Marrocos para evangelizar os mouros. A sua pregação do Evangelho no espírito de simplicidade, idealismo e fraternidade franciscana, e a sua determinação missionária, devem ter tocado o seu sentimento. Entretanto, uma impressão ainda mais forte ocorreu quando os corpos desses frades, mortos na sua missão, voltaram a Coimbra, onde foram honrados como mártires. Autorizado a juntar-se a outros franciscanos que tinham um eremitério nos Olivais, sob a invocação de Santo António do Deserto, mudou o seu nome para Antônio e iniciou sua própria missão em busca do martírio.
Fonte: Wikipedia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Quanto mais profundamente lançares o alicerce da humildade, tanto mais alto poderás construir o edifício.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Santo António nasceu em Lisboa. Pensa-se que foi a 15 de Agosto num ano situado entre 1191 e 1195. É conhecido também como Santo António de Pádua, onde faleceu a 13 de Junho de 1231. Em Portugal o dia 13 de Junho é celebrado em muitas localidades, destacando-se Lisboa e Vila Real.
Fez os primeiros estudos na Igreja de Santa Maria Maior, hoje Sé de Lisboa, sob a direção dos cônegos da Ordem dos Regrantes de Santo Agostinho. Como era a prática da ordem, deve ter recebido instrução na área das artes literais o que, certamente, contribuiu para o seu caráter intelectual. Ingressando ainda em adolescente como noviço da mesma Ordem, no Mosteiro de São Vicente de Fora, aí iniciou os estudos para a sua formação religiosa. A biblioteca de São Vicente de Fora era afamada pela sua rica coleção de manuscritos sobre as ciências naturais, em especial a medicina, o que pode explicar as constantes referências científicas nos seus sermões.
Poucos anos depois pediu permissão para ser transferido para o Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, a fim de aperfeiçoar a sua formação e evitar distrações profanas, já que era constantemente visitado por amigos e parentes. Coimbra era à época o centro intelectual de Portugal, e ali ele deve ter-se envolvido profundamente no estudo das Escrituras e nos textos dos Padres da Igreja. Nesta época entrou em contato com os primeiros missionários franciscanos, chegados a Portugal em 1217, e que estavam a caminho de Marrocos para evangelizar os mouros. A sua pregação do Evangelho no espírito de simplicidade, idealismo e fraternidade franciscana, e a sua determinação missionária, devem ter tocado o seu sentimento. Entretanto, uma impressão ainda mais forte ocorreu quando os corpos desses frades, mortos na sua missão, voltaram a Coimbra, onde foram honrados como mártires. Autorizado a juntar-se a outros franciscanos que tinham um eremitério nos Olivais, sob a invocação de Santo António do Deserto, mudou o seu nome para Antônio e iniciou sua própria missão em busca do martírio.
Fonte: Wikipedia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Atualizado em 10-12-2012

Visitas: 1062

Vargas Llosa

"A literatura light, como o cinema light e arte light, dá a impressão cómoda ao leitor e ao espectador de ser culto, revolucionário, moderno, e de estar na vanguarda com um mínimo de esforço intelectual. Deste modo, essa cultura que se pretende avançada e de rutura, na verdade propaga o conformismo através das suas piores manifestações: a complacência e a autossatisfação".

 

Vargas Llosa nasceu numa família da classe média, em Arequipa a 28 de Março de 1936. É escritor, jornalista, ensaísta, nobre (foi 1º Marquês de Vargas Llosa). Era o único filho de Ernesto Vargas Maldonado e de Dora Llosa Ureta, que se separaram após cinco meses de casamento, pelo que não conheceu o pai até os dez anos de idade. Viveu algum tempo da sua infância em Cochabamba, na Bolívia, tendo-se mudado em 1946 para Lima, capital do Peru. Foi aqui que conheceu o pai.

Entretanto os pais reconciliaram-se e, durante sua adolescência, a família continuará vivendo ali.

Ao completar 14 anos, ingressou, por vontade paterna, no Colégio Militar Leôncio Prado, em La Perla, como aluno interno, ali permanecendo por dois anos. Essa experiência será o tema do seu primeiro livro – La ciudad y los perros("A cidade e os cachorros", em tradução livre), publicado no Brasil como "Batismo de Fogo" e, posteriormente, como A cidade e os cachorros.

Em 1953 é admitido na tradicional Universidade Nacional Mayor de San Marcos, em Lima, a mais antiga da América. Ali estudou Letras e Direito, contra a vontade de seu pai.

Aos 19 anos, casou-se com Julia Urquidi, irmã da mulher de seu tio materno, e passa a ter vários empregos para sobreviver: atua como redator mas também fichando livros e até mesmo revisando nomes em túmulos nos cemitérios. Em 1958 recebe uma bolsa de estudos "Javier Prado" a vai para a Espanha, onde se doutora em Filosofia e Letras, na Universidade Complutense de Madrid. Após isso vai para a França, onde vive durante alguns anos. Em 1964 divorcia-se de Júlia e em 1965 casa-se com a prima Patrícia Llosa, com quem tem três filhos Álvaro, Gonzalo e Morgana.

Foi Nobel da Literatura em 1910.

Fonte: Wikipedia

Atualizado em 20-11-2012

Visitas: 1012

William Shakespeare

 

"Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com frequência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar"

 

Acredita-se que William Shakespeare foi filho de John Shakespeare, que foi prefeito de Stratford (depois comerciante de lãs), vindo de Snitterfild, e de Mary Arden, filha de um rico proprietário de terras. Embora a sua data de nascimento seja desconhecida, admite-se que seja 23 de Abril de 1564 com base no registo do seu batizado, a 26 do mesmo mês, devido ao costume, à época, de se batizarem as crianças três dias após o nascimento. Shakespeare foi o terceiro filho de uma prole de oito e o mais velho a sobreviver.

Muitos concordam que William foi educado em uma excelente grammar schools da época, um tipo de preparação para a Universidade. No entanto, Park Honan conta, em Shakespeare, uma vida que o pai foi obrigado a tirá-lo desta escola, quando William deveria ter quinze ou dezasseis anos (algumas fontes citam doze anos). Na década de 1570, o pai passou por grandes dificuldades económicas o que o impossibilitou de cumprir as suas obrigações para com os credores. Acredita-se que, por causa disso, o jovem Shakespeare teve uma formação colegial incompleta. Segundo certos biógrafos, Shakespeare precisou de trabalhar cedo para ajudar a família, aprendendo, inclusive, a tarefa de esquartejar bois e até abater carneiros.

Em 1582, aos 18 anos de idade, casou-se com Anne Hathaway, uma mulher de 26 anos, que estava grávida. Há fontes que dizem que Shakespeare queria ter uma vida mais favorável ao lado de uma esposa rica. O casal teve uma filha, Susanna, e dois anos depois, os gêmeos Hamnet e Judith.

Os estudiosos referem-se aos anos de 1585 a 1592 como os Anos perdidos de Shakespeare.

As tentativas de explicar por onde andou William Shakespeare durante esses seis anos foram o motivo pelo qual surgiram dezenas de anedotas envolvendo o dramaturgo. Nicholagas Rowe, o primeiro biógrafo de Shakespeare, conta que ele fugiu de Stratford para Londres devido a uma acusação envolvendo o assassinato de um veado numa caça furtiva, em propriedade alheia (provavelmente de Thomas Lucy.

William Shakespeare morreu em 23 de Abril de 1616, o dia de seu aniversário

 

Fonte: Wikipedia

Atualizado em 24-11-2012

Visitas: 1108

Nelson Mandela

"Sonho com o dia em que todos se levantarão e compreenderão que foram feitos para viverem como irmãos"

 

Nelson Rolihlahla Mandelanasceu em Mvezo, África do Sul a 18 de julho de 1918, tendo atualmente 94 anos. É advogado e foi Presidente da África do Sul entre 1994 e 1999. É considerado o mais importante líder da África Negra. Ganhou o Prémio Nobel da Paz em 1993 e é considerado o Pai da Pátria da nação sul-africana.

Dedicou a maior parte da sua vida ao serviço da humanidade quer como advogado dos direitos humanos quer como prisioneiro de consciência. Em sua homenagem a ONU instituiu o Dia Internacional Nelson Mandela, no dia do seu nascimento, como forma de valorizar em todo o mundo a luta pela liberdade, pela justiça e pela democracia.

Nascido numa família de nobreza tribal, numa pequena aldeia, cedo seguiu para a capital Joanesburgo onde iniciou a sua atividade política. Foi considerado um aluno rebelde nos tempos da faculdade, tendo-se tornado advogado e líder da resistência não violenta da juventude em luta. Foi condenado por traição tornando-se o prisioneiro mais famoso do mundo. É o político mais galardoado em vida, sendo responsável pela refundação do seu país, tornando-o uma sociedade multiétnica.

Criticado muitas vezes por ser um pouco egocêntrico e por o seu governo ter sido amigo de ditadores que foram simpáticos ao Congresso Nacional Africano, a sua figura de ser humano que enfrentou dramas pessoais e permaneceu fiel ao dever de governar o seu país, ultrapassou todos os aspetos negativos que pode ter tido a sua atuação.

Foi o mais poderoso símbolo da luta contra o regime segregacionista do Apartheid, sistema racista oficializado em 1948, e modelo mundial de resistência. No dizer de Ali Abdessalam Treki, Presidente da Assembleia Geral das Nações unidas, Mandela foi "um dos maiores líderes morais e políticos de nosso tempo".

Fonte: Wikipedia

Atualizado em 12-11-2012

Visitas: 1008