Padre João Felgueiras

Padre João Felgueiras

O Padre Jesuíta João Felgueiras é natural das Caldas das Taipas, Guimarães onde nasceu a 9 de Junho de 1921. É Jesuíta de formação e encontra-se em Timor desde 1971. É uma Personalidade de vasta cultura, com um vigor físico notável pese embora a idade de 90 anos, dos quais cerca de 40 foram passados em Timor em períodos muito conturbados e de convivência difícil, especialmente com a ocupação pela Indonésia. Tive o privilégio de me ter encontrado com ele nas 11 vezes que estive em Timor entre 10 de Novembro de 2001 e 28 de Junho de 2009. É uma pessoa que muito admiro e que me habituei a respeitar, não só pela sua amabilidade natural, mas também por admirar muito o seu trajecto de vida e a obra que tem desenvolvido em Timor, quer no que respeita à actividade religiosa, quer à actividade de escolarização de muitos timorenses. Encontrámo-nos pela primeira vez no alpendre da casa dos jesuítas em Taibesse (China Rate), perto do cemitério da comunidade chinesa de Timor, do tempo da administração portuguesa. O objectivo era participar num encontro com mais de 20 senhoras timorenses que ensinavam nas escolas primárias em Díli e em outros pontos de Timor. A minha presença e de alguns colegas que me acompanhavam, foi considerada muito importante pelo Senhor Padre pois, em sua opinião, poderia “cimentar as relações entre uns e outros de modo a rentabilizar a nossa presença em Timor”. Estas suas palavras foram premonitórias de uma colaboração e amizade que entre mim e o Padre Felgueiras se estabeleceu. Estou certo que da sua parte isto é também verdade.

 

A sua intervenção no início da reunião permitiu-nos imaginar o quanto pessoas como ele são responsáveis pela dignificação de povos que, como o de Timor, tanto têm sofrido, não só fisicamente, mas também culturalmente. Recordo muito bem algumas das ideias que nos expôs destacando esta: a cultura triplica o valor humano de qualquer pessoa.

Em sua opinião o que aconteceu durante a invasão indonésia foi, entre outras coisas, a aculturação dos timorenses quer não lhes dando condições de acederem à cultura quer proibindo-os de exteriorizar os seus sentimentos e os seus hábitos culturais.

O Padre Felgueiras, através do FACSI – Fundo de Ajuda Caritativa Social da Companhia de Jesus – COMUNIDADE AMIGOS DE JESUS, criado em 1988-1999, concedeu muitas centenas, talvez milhares de bolsas a jovens timorenses que, assim, obtiveram graus de licenciatura ou bacharelato e hoje, alguns deles, ocupam lugares de destaque em Timor. Essas bolsas cobriam, muitas vezes, a totalidade das despesas nas instituições de Ensino Superior ou Politécnico. A sua fé nos seus antigos bolseiros é muito grande. Promove reuniões com muitos deles para cimentar o espírito de amizade entre todos e serem “os pontas de lança” na divulgação de valores que tenham sempre em vista a dignificação do ser humano. Muitos deles ocupam lugares de destaque em Timor, quer na política quer em outros ramos de actividade. O futuro de Timor será o que quiserem que seja.

A sua acção na defesa e na implantação da língua portuguesa em Timor merece todo o apoio, mesmo financeiro, das instituições públicas ou privadas que tenham esse nobre objectivo.

Diz ele que “Em Timor a língua portuguesa é perfumada como o sândalo”.

Aceitem um abraço do,

Manuel Cordeiro

Partilhar

Por favor aguarde...
Total de Visitas da Página: 1
Total de Visitas do Website: 217117

sem comentários

Deixe um comentário