Abílio Guerra Junqueiro

 

 

"Toda a alegria vem do amor, e todo o amor inclui o sofrimento".

 

Abílio Manuel Guerra Junqueiro nasceu em Freixo de Espada à Cinta, em 1850.

Era filho de Ana Maria Guerra e de José António Junqueiro. Pela parte materna era neto de Francisca Sanches Massa, de Freixo e bisneto de Francisca Sanches, de Mazouco e de Bento Fernandes Massa, de Freixo.

Filho de pais ricos e rigorosos seguidores da fé católica, Guerra Junqueiro frequentou a Faculdade de Teologia, entre 1866 e 1868. Mas, largou a ideia de ser padre e se dedicou ao Direito, indo estudar na Universidade de Coimbra, onde se formou em 1873.

Foi a partir dessa época que passou a frequentar o círculo dos políticos e intelectuais da cidade. Foi em 1866, que publicou o seu primeiro livro “Mysticae nuptiae”, a que se seguiu  “A morte de D. João“, em 1874. No ano seguinte, começou a colaborar na revista Lanterna Mágica e publicou sua obra mais conhecida, “A velhice do Padre Eterno".
Foi secretário dos governos de Angra e Viana. Era filiado no Partido Progressista, monárquico, que estava na oposição de 1879, tendo sido deputado pelo círculo de Quelimane, Moçambique em 1880.  

Partilhar

Por favor aguarde...
Total de Visitas da Página: 9
Total de Visitas do Website: 230111

sem comentários

Deixe um comentário